Seguros.inf.br

Notícias

Seguro de Vida é destaque no CQCS Insurtech & Inovação

evento

02/08/2018

O CQCS Insurtech & Inovação reuniu os principais atores da área de seguros nesta quarta-feira, dia 1º de agosto, para discutir a experiência do consumidor. Sob o tema “Seguro de vida digital – o que vem por aí?”, Albert Florêncio da Costa, CPO da Samplemed; Bernardo Teixeira, COO da ONLi Seguros; e Dilmo Bantim Moreira, presidente do conselho consultivo da CVG/SP fizeram um amplo debate.

De acordo com Moreira, 99% das vendas de seguros não são realizadas de forma digital. Ainda segundo o executivo, com base em uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), os compradores têm receio do comércio on-line nesta área. Essas afirmações demonstram um distanciamento do segmento no e-commerce. “No entanto, sms e call center têm participação crescente”, explica.

Sobre o 1% dos produtos comercializados digitalmente estão “pessoas, residência e aluguel”, completa o executivo da CVG/SP. Questionado sobre de que maneira a instituição onde atua contribui para modernização da experiência do consumidor, o palestrante foi enfático. “Nossa contribuição começa no mercado, quando distribuímos como conhecimento, levando cultura para que haja melhores compras”.

“O fato do Brasil vender menos seguros que a média mundial é uma questão cultural. Temos necessidade de educação para ensinar os clientes que seguros não são caros e que é possível formatar o produto como o comprador desejar”, ratifica Bernardo Teixeira.

E como usar a tecnologia para educar? “A inteligência artificial é bastante conhecida e pouco discutido, mas já conseguimos usar chatboot com linguagem atual melhorando o processo de compra. Já na inteligência artificial é possível usar bonecos para explicar os produtos”, sugere Albert da Costa.

Se na pesquisa apresentada por Dilmo Moreira o avanço do digital parece distante, o COO da ONLi trouxe a experiência da empresa que representa com avanços no setor. Texeira diz que tem obtido sucesso, muito embora acredite que o “e-commerce não é simples, precisa de consultoria e regulamentação” explica. “Não tem como a máquina fazer sozinha”, completa.

Dentre os entraves para modernização de vendas, o executivo cita as papeladas na hora da contratação e a burocracia nas seguradoras. Em contrapartida, venda remota, consultoria on-line e o fato de não precisar de deslocamento são citados como vantagens, além da “venda eficaz, menor inadimplência e sem custo de impressão”, continua.

Um quesito comum entre os palestrantes é a necessidade de investimento na área de segurança. Uma pesquisa da SAS sobre fraude, trazida por Moreira, aponta que 71% das empresas têm sistemas baseadas em regras, 59% possuem alguma tecnologia contra fraude e 27% usam tecnologia de subscrição.

Fonte: ass. de imprensa - CQCS Insurtech & Inovação




« Voltar

Ver todas

Seguros.inf.br © 2011 - 2018 - Sacla Comunicação Ltda - Todos os direitos reservados.