Notícias

Nunes & Grossi Benefícios apoia mães em situação de risco social

ação social - 02/06/2021

A Nunes & Grossi Benefícios se uniu à Central Única das Favelas (CUFA) – organização brasileira reconhecida nacional e internacionalmente nos âmbitos político, social, esportivo e cultural – e à ONG Vidas Recicladas, de Santos (SP) para efetuar a doação de 70 cestas básicas, itens de higiene pessoal e de cuidados para bebês.

O montante foi destinado no último mês de maio aos programas Mães da Favela, da CUFA, e à Casa das Anas, mantida pela ONG Vidas Recicladas, que realiza serviço de acolhimento para pessoas em situação de rua, abandono ou sem referência familiar e moradia convencional.

Premiado em 2020 por seu impacto social, o programa Mães da Favela visa contribuir para suprir as necessidades das mães solo moradoras de favela com uma bolsa de R$ 240 mensais. No ano passado, impactou mais de 5,5 milhões de pessoas em 5 mil favelas de todo o Brasil.

Já a Casa das Anas conta com a parceria da Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Santos e oferece proteção social para mulheres com ou sem filhos que necessitam de apoio para fortalecimento de vínculos, da autoestima e reconstrução de seu projeto de vida, com capacidade para atender até 24 pessoas.

“O objetivo da ação é fortalecer o suporte a grupos de mães da Baixada Santista que passam por dificuldades ainda maiores no momento em que vivemos, em um mês que deveria ser especial. Temos buscado ampliar nosso papel na sociedade diante da atual crise e estamos empenhados em participar desta transformação, tão necessária”, destaca Willy Maxwell, CEO do Grupo Nunes & Grossi.

Ações neste sentido tem sido uma constante no dia-a-dia da empresa desde o início da pandemia. No ano passado, por exemplo, a Nunes & Grossi doou face shields para profissionais de saúde que atuam no combate à pandemia da Covid-19 em parceria com a Associação Médica de Brasília (DF), contemplando sete hospitais locais.

Internamente, também se antecipou às medidas de distanciamento social e mantém seus mais de 80 profissionais em regime de home office desde o início da pandemia. Para isso, investiu em infraestrutura e tecnologia para que os colaboradores pudessem atuar neste modelo, além de produzir e divulgar conteúdos voltados para o bem-estar coletivo.

Fonte: Lúcio Nunes